Com uma onda de inovações nas mais diversas áreas, o mercado financeiro não poderia ficar de fora. Nos últimos anos, uma das maiores novidades foi a bitcoin, uma moeda virtual criada em 2009 e que tem se tornado cada vez mais valorizada. Além do seu valor, um dos principais fatores pela qual ela chama atenção é o sistema blockchain, que possibilita as transações de bitcoin sem uma instituição financeira central.

Ainda há muita confusão sobre o que é blockchain e ela ainda é muito associada à bitcoin, mas esse tipo de sistema já está sendo testado por diversos bancos e instituições ao redor do mundo, como a NASDAQ, o Santander e o Itaú. No post de hoje, explicamos o funcionamento desse novo sistema!

O que é blockchain?

Blockchain é a tecnologia de registro público de transações feitas em criptomoeda de forma cronológica e linear. A tradução literal, corrente de blocos, ajuda a entender melhor o conceito. Cada elo da cadeia possui uma cópia fidedigna das transações e participa ativamente do processo de validação de quando um novo registro é incluído na rede. Só passa a fazer parte da Blockchain aquele bloco que é reconhecido pelos demais elos como verdadeiro, autêntico e único. A partir desse processo novas transações vão sendo registradas e armazenadas na cadeia, formando uma corrente de blocos imutáveis, descentralizados e seguros.  

Qual é o diferencial da blockchain?

Diferente dos sistemas usados por bancos, a blockchain tem transparência quanto aos blocos de checagem realizados. Além de ter um algoritmo de verificação, todas as transações feitas com esse sistema passam por uma cadeia de nós de rede que acompanham as transações e verificam a sua autenticidade, chamados de mineradores. Caso um destes mineradores indique que há uma inconsistência, a operação é cancelada.

Esse sistema pode ser muito útil para identificar fraudes em círculos de pequenos parceiros comerciais, em que há transparência entre os integrantes e pode ser feito um controle mútuo das finanças. As operações só podem ser aprovadas ou reprovadas, sem possibilidade de alteração, uma vez que o sistema também usa criptografia para manter a integridade e a segurança daquilo que passa por ele.

Por que as empresas estão investindo em blockchain?

Um dos motivos pelos quais os bancos e as instituições financeiras têm investido cada vez mais em pesquisas em blockchain é a possibilidade de conseguir mais agilidade e menor custo no momento de fazer as transações. Além disso, pela forma como são feitas as operações, há maior facilidade em conseguir fazer transações entre pessoas que não têm contas de banco ou entre diferentes bancos.

Devido ao processo de autenticação, o blockchain também deve ser usado com contratos e documentos, já que garante a autenticidade dos envolvidos. Como os processos de autenticação são encadeados, também há a criação automática de um registro.

Até 2027, cerca de 10% do PIB Global estará em blockchain, de acordo com um estudo do Fórum Econômico Mundial. No entanto, ainda há um caminho longo a ser percorrido. As empresas privadas estão realizando pesquisas para desenvolver suas próprias soluções com blockchain e pensar em alternativas para a irreversibilidade de operações antigas, que é considerado uma dos maiores desvantagens.

Quer saber mais sobre como o blockchain está sendo usado pelas empresas? Acompanhe-nos no LinkedIn!